.posts recentes

. Um Ano

. Aqui estou

. sozinha

. ...

. Falta de tempo

. Já lá vai algum tempo

. Um Violino no Telhado

. Alguns comentários

. uma evolução significativ...

. 2ª sessão de terapia da f...

.arquivos

. Setembro 2009

. Julho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Fevereiro 2009

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Abril 2008

Sábado, 19 de Setembro de 2009
Um Ano

Olá a todos os visitantes deste blog!

 

Realmente estou em dívida perante vocês, não tenho dado noticias.

Mas como sabem as férias fazem com que a gente se esqueça um pouco destas coisas.

Não me esqueci da data da cirurgia - implante a 19 de Agosto, e estive para vir escrever algo, mas achei que deveria assinalar a data na altura da activação. Ou seja, a 22 de Setembro.

E como estamos próximos, aqui estou.

Não tenho muitas notícias para dar em termos de evolução, porque eu acho que foi uma adaptação rápida e quase tudo ao mesmo tempo. Por isso neste momento sinto que estou igual, porque também me tenho esquecido do treino auditivo.

No inicio eu andava mais atenta a tudo, como conquistei muita coisa,  ando mais despreocupada, mas começo a ter a noção de que tenho de voltar  a andar mais atenta e evitar a leitura labial. Acho que é mesmo preguiça, mas não pode ser. Já chega de férias e agora vou ter de trabalhar esta audição mais a sério.

Claro que os telefones vão ser uma constante e eu vou atendê-los para treinar o "ouvido".

Mas ainda é dificil quando há muito barulho e ruido e quando falam depressa.

 

Fazendo o balanço deste ano:

Foi a "sorte grande que me saíu"

Quando tiro o implante ou quando termina as pilhas, é um silêncio, e só mesmo com leitura labial, e ás vezes nem assim, é que consigo perceber alguma coisa.

Como fiquei surda do outro ouvido e já estava implantada a algum tempo, não senti a realidade do silêncio.Isso foi muito bom, porque parece que foi só mudar de "aparelho" mas agora para um de alta "resolução".

 

Em termos profissionais, foi uma "lufada de ar fresco", a minha auto-estima e a minha segurança não têm comparação alguma. Assim como em termos familiares

 

Candidatei-me a um concurso - progressão na carreira - no meu hospital, e nunca o fazia se não tivesse sido implantada, pois estava muito limitada.

Não sei se consigo o lugar, pois ainda temos uma prova pública, mas de qualquer forma o implante foi o motivo da minha decisão e mesmo que não entre é sempre uma experiência muito enriquecedora.

Quando for o exame e souber o resultado,  partilho convosco.

 

Quando iniciei este blog, foi para partilhar os meus desabafos e "ouvir/ler" os vossos apoios.

Depois foi para contar as novidades da minha evolução e agora não sei para que será. Mas continuarei a vir aqui de vez em quando, "fazer uma lamentação".

Mas o melhor de isto tudo, foi poder ajudar outras pessoas com o mesmo problema.

pelo menos duas, com quem troco mensagens e uma pessoalmente, e que foram implantadas.

Obrigada a todos

Fernanda

 

 

publicado por ouvircomunicar às 23:05
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Quarta-feira, 1 de Julho de 2009
Aqui estou

Boa Noite

 

Como sempre, só escrevo de vez em quando!

Mas infelismente ,tenho andado muito ocupada, tenho o meu pai com um problema de saúde. E nestas alturas temos de estar sempre disponíveis.

 

Está a recuperar mas devagar. Na próxima semana já deve vir para casa.

 

Agora, quanto a mim - tudo bem.

 

Tive terapia em Coimbra no dia 30 de Junho - Tive alta. agora só para o ano.

 

Segundo a terapeuta estou muito bem, agora é continuar a trabalhar para maior e melhor "audição"

 

Espero não ter de lá ir antes de ser chamada.

 

Bem, tive alta antes de fazer uma ano de implantada, por isso é óptimo.

 

Não quer dizer com isto que ainda não tenha muitas dificuldades, mas com algumas "manobras" acho que me vou entendendo.

 

Não sei se vou vir aqui escrever com frequência, mas prometo que de vez em quando venho cá dizer como vou andando

 

Obrigada a todos que visitaram este blog

 

Fernanda

 

 

publicado por ouvircomunicar às 22:52
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
|
Segunda-feira, 4 de Maio de 2009
sozinha

Olá Amigos!

 

Depois de um fim de semana prolongado mas a tarbalhar, porque embora não estivesse de serviço no hospital, tive de trabalhar no Lar de Idosos.

Mas estes 3 dias até não foram muito complicados, até porque tive ajuda dos colegas que estão em fase de integração. E porque, infelismente também faleceram as 2 utentes que estavam "mal".

E com este tempo, tão bom para ir até à praia, mas enfim,é a vida de uma enfermeira...

 

Pode ser que daqui a algum tempo já esteja um pouco mais liberta, espero que este mês já não tenha de trabalhar os fins de semana todos. Vou ficar de apoio aos colegas novos.

 

Hoje não fui trabalhar, tive uma consulta no Porto com o meu marido, depois do almoço estive a dormir a "sesta" e depois a trabalhar aqui em casa sobre um tema muito importante - Diabetes . Mas soube tão bem, estar em casa sozinha.....

Nem dei pelo tempo a passar, tenho de fazer mais vezes isto,de preferência sem fazer nada.

 

até breve

 

Fernanda

 

publicado por ouvircomunicar às 21:25
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 27 de Abril de 2009
...

Ora Viva!

 

Hoje não vou escrever sobre a minha audição.Como já disse anteriormente, vai bem.

 

Acho que estou a precisar de dizer aquili que me vai na alma........E aqui posso fazê-lo.

 

tenho andado um pouco tensa,será da idade?

Não sei, mas também não tem nada haver com a minha audição/surdez. À pouco estive a ler umas coisas que a Memorex mandou sobre "A Vida" , e realmente estou de acordo. Preciso de tempo, tempo para mim,para os amigos, para ver o mar,o pôr do sol,namorar,conversar com os meus filhos ect etc ect.

 

Fui sempre muito preocupada com os outros, queria estar sempre disponível para os outros, muitas vezes prejudicando o tempo que deveria estar em casa com a minha família. Por causa do trabalho da mania das limpezas ,quase que não brinquei com os meus filhos e muitas vezes nem tempo tive para os ouvir.

Agora que já são crescidinhos,por vezes gostam de um miminho, mas eu ás vezes sou áspera e digo-lhes que já são grandes para isso. Mas não são, eu é que não fui habituada a mimos e sou "azeda".

Depois fico com problemas de consciência e revoltada.

 

Tenho a consciência que trato melhor as  outras pessoas / utentes / doentes do que os meus. Não deveria ser assim, ou seja, pelo menos deveria ser igual.

 

E quando ando aborrecida ou quando não gosto de alguém, não consigo esconder, e até falo "torto".

 

Sinto que anda aqui um turbilhão de coisas na minha cabeça, e ás vezes penso que tinha mais jeito para viver sozinha.

 

Nem imaginam o quanto,ás vezes, gostava de chegar a casa e estar sózinha, sem marido nem sogra para aturar ...

 

Gosto do silêncio,sem falar com ninguem,ou então falar quando me apetecer, sem ter que dar satisfações de nada a ninguem, ter a casa só para mim.

 

Eu comecei a viver a vida ao contrário, deveria ter vivido a minha vida melhor quando comecei a trabalhar ou quando me casei, Mas não, porque tinha de trabalhar para fazer uma casa, depois vieram os filhos e tudo por aí adiante, mais uma avó que faleceu e que tive que ajudar a minha mãe durante 8 meses, mais um sogro que cuidei durante mais de 1 ano, o meu pai que também ajudei nos vários acidentes que já sofreu, e mais a sogra que embora independente,está na minha casa. E o marido e os filhos,mas estes,tenho obrigação.

 

Com tudo isto, mais o meu trabalho, que tempo me resta?

 

Bem gostava de mandar tudo e todos à fava, e se a crise não fosse tão grande, comprava uma casinha só para mim voltada para o mar par poder ver o pôr do sol e ouvir as ondas a rebentar na areia.

 

Pode ser, que um dia consiga isso, entretanto vou tentar viver bem cada dia que passa sem pensar nestas coisas.

 

Desculpem este desabafo

 

Fernanda

 

 

 

 

 

 

 

publicado por ouvircomunicar às 22:23
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Domingo, 19 de Abril de 2009
Falta de tempo

Olá a todos!

 

Este Blog não foi esquecido, mas a minha falta de tempo é que não me tem deixado vir aqui escrever qualquer coisa.

E uma amiga pediu-me para vir dizer alguma coisa porque até já começavam a pensar que eu não me estava a daptar bem ao IC.

 

Então aqui fica mais um registo:

 

Estou bem de saúde e a adaptar-me lindamente ao meu IC.

Sem ele não ouço viva `alma.

 

Faz hoje exatamente 8 meses que fui Implantada e 7 de activada.

 

Também faz mais ao menos 1 ano que tive uma festa de aniversário de familia ( somos quase 60) e nesse dia cheguei a casa num caos,porque não conseguia acompanhar as conversa da mesa. Hoje tive outra, e o meu estado de espirito é completamente diferente, pois as sensações foram diferentes. Consegui falar , ouvir e até cantar.

Bem, um pouco barulhento, tanta gente a cantar os parabéns. Mas foi diferente.

 

Ao longo destes meses tenho me apercebido que a minha evolução está a ser gradual mas muito positiva.

Uma das coisas que eu queria era ouvir ao telefone e telemovel. Não posso dizer que já ouço bem, nem sei se irei ouvir bem, mas ouço muito melhor. Eu tenho é medo de não perceber e por isso algumas vezes deixo que atendam e ao telemovel os SMS são mais certos. Mas já começo a aventurar-me a telefonar. As contas é que também começaram a aumentar....

 

Mas é engraçado, para mim as vozes ao telefone são todas iguais, ainda tenho muita dificuldade em distinguir , as conhecidas. E os Nomes também tenho dificuldade....

 

Bem, mas com o tempo vou chegar lá.....

 

Mas como é bonito ouvir a chuva a cair nos vidros do carro enquanto conduzo, como já gosto de ouvir a música enquanto estou no computador, enfim, tantas coisas que não ouvia.

 

Como já vos disse, não tenho muito jeito para a escrita, e também o meu trabalho ocupa-me muito tempo e  mais o de casa  resta-me muito pouco para mim, ou seja, para actualizar as noticias.

 

O blog teve inicio numa fase complicada, antes de saber se podia se implantada ou não, mas foi uma forma de partilhar a minha dor e tristeza com todos aqueles que o leram e me deram coragem. Por isso agradeço a todos. Todos os dias eu gostava de vir ver se alguem me tinha escrito alguma coisa, parece que estava ansiosa por palavras de apoio. Sentia que não estava sozinha e que aqui podia falar abertamente porque as pessoas entendiam aquilo que dizia. Era uma forma de terapia.

 

Também foi uma forma de eu ir organizando as minhas ideias e preparando o caminho para  a cirurgia.

Depois, foi só escrever aquilo que passei e senti. Nessa altura tinha muito tempo, pois estava em casa de Baixa.

 

 

Por isto tudo, acho que tenho obrigação de, pelo menos, vir aqui dizer que estou optima, e também é uma forma de transmitir as maravilhas do IC aos novos candidatos.

 

Prometo que volto

 

Fernanda

 

publicado por ouvircomunicar às 18:22
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Domingo, 1 de Fevereiro de 2009
Já lá vai algum tempo

Olá a todos!

 

É verdade, já há muito tempo que não ando por estes lados.

Peço desculpa a todos os que costumam visitar este espaço, mas tenho andado um pouco ocupada e também sem vontade para escrever.

 

Realmente preciso de inspiração para escrever, as palavras não me saem assim com tanta facilidade.

 

Novidades em relação à minha audição, tenho algumas, ou seja, estou a evoluir a cada dia que passa.

Bem gostaria que fosse mais rápido, mas para quem tem só 4 meses de activada e para quem tinha muitas dificuldades em perceber/ouvir, acho que estou muito bem.

 

Mas espero evoluir ainda mais, com muito trabalho e muito treino.

 

No dia 29 de janeiro tive mais uma sessão de terapia da fala, já não ía há um mês. Estive a fazer treino de telefone, mas ainda é um desastre, só acertei cerca de 60% das palavras e algumas depois de repetidas.

Pois é, se falarem devagar eu até percebo muita coisa, mas também preciso de estar concentrada e não haver ruido nem barulho.

 

E então se forem palavras soltas, então é que é um desastre, acerto muito mais se forem frases. Por umas tiros as outras.

 

Ao telemóvel, ás vezes percebo outras não. Enfim, parece um jogo do acerta!

 

Mas acho que vou conseguir, tudo leva o seu tempo, Não é verdade?

 

Um dia destes perguntei ás minhas colegas do serviço o que achavam da minha evolução, e foram unanimes na resposta - estás muito bem!

Pelo menos já não precisam de falar alto e muitas vezes falam sem olhar para mim. E eu percebo. E também já não chamo tantas vezes para atenderem o telefone, já me vou entendendo.É certo que percebo melhor as vozes graves, quanto ás agudas ainda tenho de as limar melhor.

 

Também já percebo melhor as vozes / pessoas que me ligam mais vezes. O meu cerebro começa a descodificar os sons e a interpretar melhor.Às vezes já consigo reconhecer as vozes das pessoas mais conhecidas.

 

devagar , devagar se vai ao longe .....

 

Mas ainda, e também não sei se irei conseguir, perceber as pessoas quando estão a falar longe ou então quando me chamam por trás e eu vou distraida. Tenho alguma dificuldade.

Mas por exemplo, se está tudo sossegado e me chamam perto, estando mesmo num gabinete, eu já consigo perceber.

 

É  dificil explicar toda esta evolução, e para quem não é implantado, mais dificil é de perceber. Mas uma certeza eu tenho, é dificil explicar mas é facil perceber que ouço muito melhor!

 

E sabem uma coisa? Fui implantada na Hora certa e no sitio certo.

Foi confirmada a minha surdez no outro ouvido. Usava protese e ainda ouvia um bocadinho, mas há muito pouco tempo cpmecei a perceber que já não ouvia nada e pedi ao Tecnico quando fui a Coimbra para ver.É verdade. Já nem uso a protese.

 

Por isso é que ás vezes temos mesmo de arriscar.

 

Agora precisava que me saisse o euromilhões, para comprar outro implante para colocar no ouvido direito, uma vez que o Estado só paga um.

 

Bem, por hoje é tudo. Prometo que vou dando novidades.

 

 

 

 

 

 

publicado por ouvircomunicar às 16:07
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Domingo, 23 de Novembro de 2008
Um Violino no Telhado

Olá a todos!

 

Já lá vai algum tempo desde o ultimo post, mas tenho andado com algum trabalho e também porque não tenho tido muitas novidades para dar.

 

Mas depois da ultima ida a Coimbra, acho que já tenho algumas coisitas para escrever.

 

Ora muito bem, no dia 20 foi a Coimbra, não tive sessão de terapia da fala porque estive a fazer testes com o técnico audiologista.

Primeiro esteve a ajustar o programa, ou seja, temos de estar muito atentos para poder dizer se o som é mais alto ou mais baixo conforme ele vai os vai colocando.

Depois passamos para outra sala aonde tive que repetir o que ouvia através de uma gravação - números,palavras e frases. Isto exige muita concentração.As frases eram ditas tão depressa que se não estivessemos mesmo atentas não conseguiamos nos lembrar de tudo.

 

Para uma primeira vez foi muito bom. Acertei cerca de 80 / 90%

 

Segundo o tecnico uma pessoa ouvinte, ouve a 0-20 decibeis, eu estou nos 30 decibeis, ou seja, equivalente a uma surdez ligeira. Ele acha que ainda se consegue melhorar um pouco mas talvez daqui a algum tempo. O meu cerebro precisa ainda de mais estimulo para depois poder adaptar-se  melhor a outro ajuste.

Pois, para cada ajuste é preciso um periodo  de adaptação. Com este, a minha voz parece que sai de dentro de um saco, parece que estou constipada e com obstrução nasal.

Espero que daqui a algum tempo isto melhor, e então quando falo mais alto é que se nota. Eu até já perguntei ao pessoal se a minha voz está igual ou diferente. Parece que está igual, mas a mim não, ouço-a diferente.

 

Agora vou só a 15 de Dezembro.

 

Mas o que interessa é que com este ajuste estou a ouvir melhor e até já percebo melhor ao telemóvel. Tenho é de procurar sitios com pouco ruido, porque senão é mais dificil.

 

Ontem fui ver o Músical - um violino no telhado- ao Porto, e realmente foi muito bom. Percebi quase tudo, foi mais dificil quando cantavam, aí percebi pouca letra, mas quando os actores falavam percebi aí uns 80% a 90%

Quando fui ver - música no coração- ainda não tinha sido implantada, aí sim, percebi pouco. Mas comprei o livro e pude ler a história para perceber melhor. Ontem não precisei de comprar o livro.

 

Na 6ª feira, no dia a seguir ao ajuste, fui ao Continente às compras. por vezes falavam ao altifalante a fazerem publicidade, alguma percebia mas outra não. Mas está melhor porque antes não percebia nada e muitas vezes nem me apercebia do sinal sonoro que emitem antes de falarem.

 

Também agora já gosto de ligar o rádio do carro quando vou a conduzir. nem sempre percebo o que dizem, principalmente quando a estrada é de paralelos e faz muito barulho, mas se paro ou se vou devagar e não tem muito ruido ouço muito bem o locotor a falar ou a música.

 

Agora ouço melhor o barulho do carro a andar.

 

Vamos ver quais mudanças que este ajuste me vai trazer. Ainda só foi há 3 dias.

 

O que é certo é que todos me dizem que agora ouço muito melhor. Fico muito contente.

 

Até acho que ando mais feliz, com um sorriso mais aberto. Bem, mesmo a ouvir mal eu nunca fui uma pessoa mal disposta. Por vezes e ainda sou, um pouco agressiva. Mas isso é do meu feitio. Ralho,ralho,ralho, mas depois fica tudo bem. Enquanto não desabafar não decanso. Aí sim, fico com cara de poucos amigos. Mas quem me conhece sabe muito bem que não guardo nada. O que tiver de ser dito é na hora.

 

E como dizia o actor " O amor é como um violino no telhado"

 

E como foi bonito ouvir o som do violino a entrar aqui para o meu telhado pelo meu "ouvido".

Foi um Amor.

 

Até breve

Fernanda

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

publicado por ouvircomunicar às 21:25
link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 26 de Outubro de 2008
Alguns comentários

Olá a todos!

 

Pois é, tenho andado um pouco preguiçosa para vir aqui escrever.

Não é que não tenha nada para contar, mas as palavras custam em sair.......

 

Tive mais uma sessão de terapia da fala no dia  21 deste mês, quase há uma semana.

Nessa sessão a Terapeuta já me começou a ler frases para eu repetir, correu muito bem, falhei só algumas palavras.

Trouxe material para praticar em casa, mas só hoje é que o trabalhei.

Mas para mim, acho muito mais importante, e a terapeuta também aconselhou, alguem ler em voz alta frases ou pequenos textos e eu repetir, tirados do jornal de uma revista etc.

Tenho mais dificuldade em perceber monossílabos ou então as preposições , e a sua falha leva a não perceber a frase ou o seu contexto.

A Terapeuta fala devagar e pronuncia bem as palavras, mas hoje o professor, o meu filho, lê como está habituado, embora com mais cuidado não pronuncia como a terapeuta.

Mas é assim que eu tenho de me habituar, a ouvir no dia a dia.

Tenho procurado estar mais atenta ás conversas, não para bisbilhotar mas para ver se consigo apanhar alguma coisa. Ás vezes apanho mas outras não.

Também já procuro não estar sempre a fazer leitura labial, mas as minhas colegas como já estão tão habitudas a falar para mim de frente e eu estar a olhar para elas, que agora quando viro a cara, elas dizem:

fernanda, olha para mim!

E eu lá lhes digo:

Ó meninas, estou a fazer terapia.

Pois é, desculpa. dizem elas.

Em casa também faço o mesmo.

Gosto de ver e ouvir o telejornal, acreditem´que é uma boa forma de terapia, principalmente quando são as reportagens. Ouvir e perceber sem leitura labial.

Mas como é engraçado, a TV I tem um som muito melhor e mais alto em relação  á UM, a SIC  também tem um bom som. Tenho mais dificuldade em perceber na UM com o mesmo volume que uso nos outros canais.

 

Vivo perto ( 5` a pé) da auto-estrada e da A29, passam as duas aqui na minha feguesia., e nunca tinha ouvido o barulho dos carros que por  lá passam. Hoje andava a estender a roupa cá fora e ouvia barulho mas não sabia o que era, no entanto deduzi que fosse da auto estrada porque muitas vezes o meu marido fazia esse comentário. Confirmei com ele se sempre era ou não. Era verdade.Às vezes as pessoas diziam: houve um acidente na auto estrada, ouvi  a ambulância, e eu não tinha ouvido nada. Espero agora ouvir, pelo menos ouço o barulho do tráfego.

 

Ouço os cães dos vizinhos e o meu sempre a ladrar. Antes não ouvia quando estava no salão a ver TV, agora ouço muito bem.

 

Quando vou buscar o pão á vizinha ( o padeiro deixa lá o pão) ( na aldeia ainda se faz assim)

ouço as rolas a cantar, e cantam como outrora.

 

No Sábado passado foi a uma palestra com o meu filho, lá da catequese. Fiquei um pouco atrás porque os bancos da frente eram para os alunos. Os Palestrantes estavam no mesmo nivel que nós, ou seja, nós atrás tinhamos que esticar a cabeça para os ver. E eu tive que fazer alguma gincana para os poder  ver quando falavam. Andava sempre á espreita pelos buracos dos da frente. Eles falavam baixo, não tinham microfone e o salão era enorme e com pouca gente.

Mas se tivessem micro, se calhar fazia eco e ainda era pior.

O que é certo é que eu ouvi e percebi quase tudo, mas a olhar para eles. Mas tenho a certeza que se fosse só com a protese auditiva vinha de lá sem saber do que se falou.

 

Por vezes fico triste. O pessoal com quem trabalho, no geral, estavam á espera que eu ficasse a ouvir bem, nomeadamente atender os telefones.

 

Por muito que explique às pessoas que isto é um processo lento, elas não entendem.

E passam a vida a perguntar:

Então já ouves bem?

Na sexta feira atendi o telefone porque a minha colega estava a fazer um penso. Pensei eu: se perceber muito bem, senão vem ela.

Percebi uma coisa:

está a ouvir?

E eu disse que sim, mas já não percebi mais nada e nem quem estava ao telefone.

A minha colega atendeu. Era um Médico do Serviço. E ele disse á minha colega:

Afinal não está a resultar muito bem....

A minha colega disse-lhe que eu ainda andava a aprender.

 

À tarde ligou um colega de fora do Hospital, a telefonista passou, atendi porque não tinha mais ninguem. Embora não tenha reconhecido a voz, percebi quase tudo, também sabia do que se tratava. O colega falou devagar e não havia barulho.

 

Eu sei que o telefone ainda não é nesta fase. Eu vou atendendo para me começar a habituar. Mas as vozes das pessoas são tão diferentes, e entra no ouvido um som tão agudo.

Parece no inicio da activação. Agora as vozes e os sons já são mais reais.

 

Qualquer dia fico cansada de dizer sempre a mesma coisa e dou uma resposta torta.

 

Bem, mais uma semana de trabalho e de treino.

 

Tenho Terapia outra vez no dia 4 de Novembro.

 

Até breve

 

Fernanda

 

 

 

 

 

 

 

 

publicado por ouvircomunicar às 21:46
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Quarta-feira, 15 de Outubro de 2008
uma evolução significativa

Faz hoje 23 dias que foi o meu implante foi activado. E faz 16 dias que tive o 1ª ajuste.

 

Fazendo uma retrospectiva destes dias, só tenho a dizer que a minha audição está a evoluir de uma forma muito significativa.

 

Já consigo perceber muitas coisas sem estar a fazer leitura labial.

Os sons já começam a ser mais familiares,assim como as vozes das pessoas.

O barulho já não me incomoda muito, só um pouco.

 

Estou muito satisfeita por ter seguido este caminho.

 

Tenho feito treino sozinha com as palavras que a Terapeuta me deu. Digo-as em voz alta para ouvir bem como se pronuncia. Acho que vou começar a ler em voz alta para me familiarizar com as palavras. Acho que assim começo a perceber melhor quando as pessoas falam.

 

Mas algumas palavras são tão parecidas que quando entram no ouvido são todas iguais.

Quando são ditas num contexto parece que se percebe melhor.

Mas a Terapeuta da fala diz  que é importante saber distingui-las. Por isso tenho de as treinar.

Na proxima semana tenho mais uma sessão de terapia da fala, vamos ver se levo a lição bem estudada,

 

Vou dando noticias.

 

 

publicado por ouvircomunicar às 21:25
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Domingo, 12 de Outubro de 2008
2ª sessão de terapia da fala

No dia 9 de Outubro fui mais uma vez a Coimbra, desta vez só fiz terapia da fala. Segundo a Terapeuta ainda não preciso de reajuste. Acho que estou a ir no bom caminho.

 

Quanto ás vogais, só ocasionalmente é que troco o " e " pelo " i " e muito raramente o " o " pelo  " u ".

 

Mais dificil são as consoantes.

O " arrá, amá,aná,afá... ainda troco muito.

 

Nesta sessão esteve a perguntar sobre frutos, produtos e utensilios de cozinha, sem saber o quê,  acertei quase tudo.

 

Agora só vou a 21, mas trouxe muito material para estudar.

 

 

Agora, quanto ao meu dia a dia:

 

Já distingo o ladrar do cão, o sino da Igreja, os telefones do serviço e o de casa, os carros na rua a passar, o barulho do frigorifico, da arca, etc.

 

Ouço os pássaros a cantar, já ouvi antes mas mais baixinho, e o cantar parece igual ao que ouvia antes.

 

Hoje ouvi um barulho, que parecia um sino a tocar, e perguntei ao meu marido o que era, nem acreditei - o galo  da vizinha a cantar. Eu ainda me lembro do canto, mas este era tão diferente.....

 

Já por duas vezes que me chamaram e eu estava de costas voltadas e ouvi o meu nome.

 

Já percebo bem algumas coisas na televisão, por ex: quando está a dar as noticias e o jornalista não está presente, ou seja, sem fazer leitura labial. Mas tenho de estar muito atenta.

 

No serviço, ás vezes não olho para a pessoa que está  a falar comigo para ver se percebo, já consigo apanhar alguma coisa e quando não percebo pergunto.

 

Se as pessoas falarem devagar e frases curtas e se não houver barulho de fundo,e se estiver concentrada até percebo bem.

 

Já fiz a experiência, desliguei a protese auditiva, para ver se ouvia e percebia  a mesma coisa, e percebo. O implante sobrepôe a protese auditiva. Ouve-se muito mais.

 

Agora como ouço melhor, falo mais baixo. Mas os idosos já me perguntam 2 vezes o que estou a dizer. É que eu falava alto e com eles tem de se falar alto,pois ouvem mal, mas  a voz aguda a entrar aqui no meu ouvido incomoda-me. Paciência....., mas também já os ouço melhor.

 

Cada dia que passa ouço e  percebo melhor. Desde o 1º ajuste que tenho vindo a melhorar bastante.

 

A terapeuta é que vai dizendo quando tenho necessidade de ajuste ou se por acaso eu sentir necessidade de ajustar o volume.

 

No dia que foi à terapia, fui á consulta cumprimentar o Médico ( Dr.L ) e outros médicos que também conhecia das consulta anteriores, ficaram todos muito contentes com a minha evolução. Gostei de estar com eles.

 

A evolução é lenta e gradual, mas cada conquista é uma medalha de ouro..............

 

 

 

 

 

 

 

 

publicado por ouvircomunicar às 15:17
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
.mais sobre mim
.pesquisar
 
.Setembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
.Fazer olhinhos
blogs SAPO
.subscrever feeds